• All
  • Design Gráfico
  • Marketing Digital
  • Mix De Marketing
  • Remarketing
  • Web Design
  • Default
  • Title
  • Date
  • Random
Pego no flagra. Um bug no Facebook, que também provocou instabilidade no WhatsApp e Instagram, no início desse mês, revelou ao mundo como funciona o mecanismo de inteligência virtual na leitura das fotos publicadas. Enquanto muita gente lamentava por não conseguir acessar o conteúdo, outros conseguiram observar como a plataforma categoriza as imagens. Mas, calma, antes de pensar que há uma teoria da conspiração que garanta o mau uso de nossas fotografias. A explicação é bem simples: a funcionalidade faz parte de um projeto do Facebook para tornar as imagens mais acessíveis às pessoas com deficiência visual completa ou parcial. Isso porque, como pôde ser observado durante o bug, cada imagem exibe uma frase que a descreva para alguém que precise, em vez de vê-la, ouvir uma descrição do que está sendo exibido.
 
A funcionalidade do Facebook, graças a inteligência virtual, é capaz de revelar quantas pessoas estão na fotografia, a expressão facial delas, bem como a posição em que estão na foto - sentadas, em pé ou em alguma outra pose - cita o nome (caso elas estejam marcadas ou não na publicação), além da presença de animais, objetos ou mesmo o ambiente de fundo. Vale ressaltar que a função não é, de fato, uma novidade, já ganhou grande repercussão entre os usuários da rede porque, pela primeira vez, foi revelada como funciona. Esse tipo de inteligência virtual, inclusive, já existe como uma extensão para o navegador Google Chrome, justamente desenvolvida para que todos os usuários, independente da possibilidade de visão, possam entender todos os tipos de postagens. Por outro lado, há quem questione não somente este tipo de tecnologia, mas as informações publicadas pelos usuários de forma indiscriminada, sem entender o tamanho da exposição.
 
De acordo com uma análise do usuário @Ageitgey, publicada no site GitHub - criado por e para desenvolvedores e especialistas no tema - "muitos internautas não percebem a quantidade de informação que é rotineiramente extraída das fotografias. Facebook (e Google, Apple, Amazon, etc) podem facilmente dizer, pelas suas fotos, se você tem um cachorro de estimação, se você coleciona câmeras, se você joga golfe, se você tem filhos, ou se você está realmente apenas usando óculos escuros. Não há nada que os impeça de usar essas informações para exibir anúncios relevantes apenas com base em fotos suas, mesmo que outro usuário tenha feito o upload da foto e nem mesmo tenha marcado você diretamente". A se pensar. 
 
 

O que nossos clientes estão falando?

  • "Minha experiência é a melhor possivel. O atendimento é impecável!!!"

    star5

    Laura Ganon

    CEO - Fink Mobility

  • "Confiança, qualidade do trabalho e comprometimento definem uma parceria de sucesso. Para nossos clientes, o nível de qualidade e atendimento precisa ser "excelente" e para tal, a confiança em um parceiro como vocês, é fundamental. Cliente satisfeito é a garantia do nosso sucesso!"

    star5

    Ana Mason

    CEO - Ana Mason Design

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9